fbpx

A Aventura de
Ulisses

Print Friendly, PDF & Email

Peça de teatro A Aventura de Ulisses

Encenação António Feio

A Guerra de Tróia tinha terminado. Contudo, Ulisses nunca mais chegava à sua amada Ítaca onde a sua mulher Penélope e o seu filho Telémaco o esperavam…

Terminada a guerra de Tróia, os Deuses reúnem-se para decidir o destino de Ulisses. Enquanto uns defendem o seu rápido regresso a casa, na ilha de Ítaca, outros preferem voltar a pô-lo à prova, lançando-lhe novos desafios. Zeus acaba por concordar em transformar a viagem de regresso numa espécie de jogo de computador, programado em função dos caprichos dos Deuses. Os episódios da “Odisseia” surgem assim como etapas ou níveis desse jogo, cabendo a Ulisses contornar os obstáculos que o afastam do seu grande objetivo: reencontrar a mulher Penélope e o filho Telémaco. Antes de chegar ao último nível do jogo, Ulisses terá de enfrentar a fúria das tempestades e a força dos Ciclopes, terá de resistir aos feitiços de Circe, ao canto das Sereias e à sedução da ninfa Calipso. Entre o mar e a terra firme, o gosto pela aventura e a vontade de voltar para casa, Ulisses vai debater-se, não apenas com os Deuses, mas também consigo próprio. O Game Over não corresponderá, necessariamente, ao fim das suas aventuras.

Silva, Maria de Fátima

Professora Catedrática do Departamento de Línguas da Universidade de Letras

Áreas de investigação, Estudos Literários-Línguas e Literaturas Clássicas; Literatura Grega; Teatro; Historiografia; Heródoto

Maria de Fátima Sousa e Silva, “A Aventura de Ulisses: uma história para crianças” in Penélope e Ulisses. Coimbra, 2003. P. 407-410

A Aventura de Ulisses

Uma história para crianças

           

Por iniciativa da Cultural Kids, encontra-se em cena no Teatro Nacional D. Maria II, desde meados de Fevereiro até finais de Abril, A aventura de Ulisses, numa adaptação para crianças da Odisseia de Homero da responsabilidade de Maria João Cruz e Patrícia Castanheira. Cumpre assim mais uma vez a Cultural Kids os seus principais objectivos – facultar a um público dos 0 aos 16 anos programas apropriados, que se inspiram em referências culturais e se exprimem sob os mais diversos padrões artísticos. O público alvo a que se destina este trabalho, infantil ou adolescente, é por isso mesmo a população pré ou escolar, que encontra nas produções da Cultural Kids uma outra forma de sensibilização para referências culturais e modelos estéticos de transmissão.

            Nesta que é a sua última produção, coube a Ulisses despertar o germe do projecto. Afinal com as suas qualidades de eterno super-homem aventureiro, globe trotter infatigável, ganhador de inúmeros obstáculos mais ou menos fantasiosos, o herói da Grécia antiga e as suas inesquecíveis aventuras tinham todos os ingredientes para fazerem as delícias de uma jovem geração em 2002 e constituíam um desafio poderoso para quem se ocupa da criação artística e ousa cruzar recursos ou técnicas, com vista aos tão sedutores efeitos especiais.

            Reunidos estes objectivos e métodos, a Cultural Kids suscitava a atenção das escolas e do seu público para uma novíssima leitura da Odisseia de Homero, contada em escassas páginas de um texto leve e divertido, de ritmo bem adaptado a um português escorreito e jovem. Se a adaptação das palavras é profunda, embora narre pedaços de uma história que é a que detém já 3000 anos de existência,  a revolução operada sobre o lado visual do espectáculo não é mais leve: porque os computadores são absorvidos como a arma principal de Zeus e dos deuses do Olimpo, que, pela magia dos seus programas, põem em movimento o herói e as suas campanhas como mero centro de um jogo arbitrariamente movido pelo capricho divino. Assim se harmoniza, como reconhecem os responsáveis pela produção, a que é a eterna lei que preside à vida humana: ‘No princípio eram os deuses que manobravam os homens. Agora, é a máquina que manipula a realidade’. Se a versão cómica para teatro da saga de Ulisses tem uma tradição que já a antiguidade considerava desgastada, nunca como nos nossos dias ela se pôde exprimir de uma forma multimédia, onde os actores contracenam com imagens de computador que, por magia da sua própria vontade, os enquadram num pano de fundo electrónico que define o espaço de cena.

            Antes de servir o manjar final que é o espectáculo, a produção elaborou também um manual informativo, que prepare os seus jovens espectadores para o sentido remoto e implicações culturais da história. ‘O meu primeiro livro de actividades sobre arte da Grécia antiga’ é um roteiro de tópicos preferenciais da cultura grega que, antes de chegar à história de Ulisses propriamente dita, dá da Grécia arcaica, clássica e helenística, sob perspectivas geográficas, históricas, políticas, sociais, artísticas e culturais, uma informação genérica e facilmente digerível. Se o texto é leve e directo, como convém ao destinatário visado,  e de uma forma geral bem informado e correcto, o design é de excelente qualidade e de estilo particularmente sugestivo. A reprodução dos deuses com os seus atributos tradicionais, como dos heróis mediterrânicos com destaque particular para o casal de Ítaca, é por seu lado primorosa. Algum espaço consagrado a jogos e passatempos, faz deste prospecto um elemento de trabalho interactivo que proporciona a quem o consulta, além de informação, diversão e intervenção pessoal. 

            Mas vamos ao espectáculo propriamente dito, cuja linha de força é arquitectada segundo um conceito assim definido pelos seus criadores: ‘A Odisseia de Ulisses é transformada num jogo, com estrutura e desenvolvimento semelhantes aos de um jogo electrónico. Este jogo é criado e controlado pelos deuses – os grandes programadores do mundo – que, após o final da guerra de Tróia, decidem lançar novos desafios  a Ulisses. O regresso do herói a Ítaca é o objectivo final deste jogo, correspondendo cada aventura a um nível em que se ganham ou perdem objectos, capacidades e pontuações’. A cada um dos intervenientes é dada, neste jogo, uma posição explícita: os deuses, supremos manipuladores do jogo, ocupam em cena um lugar elevado, o que lhes dá física e visualmente o contexto mais adequado à actuação que lhes cabe: tudo gerem, das alturas do espaço, ao controlo dos botões obedientes do computador; Ulisses é o velho senhor de Ítaca, ignorante das condicionadoras vontades de que é alvo, sempre movido pelo objectivo firme do regresso à pátria e aos seus; o espaço que lhe convém, central na acção, é o palco, enquadrado por referências a Ítaca em pano de fundo; por fim, os espectadores estão numa posição omnisciente, atentos aos deuses manipuladores e ao herói manipulado. É-lhes facultado, por milagre da moderna tecnologia, o acesso à tradução electrónica do jogo, através de um painel que dele projecta o menu e que garante, por diversas recapitulações, que o jovem espectador não perderá nunca a ponta da meada nesta experiência labiríntica ao lado de Ulisses.

            Na estrutura da acção, aos deuses compete dar o tom de abertura e de fecho, através de dois dos seus memoráveis concílios. Com recurso a computadores, que agora enchem as mesas de trabalho do Olimpo, pode-se recapitular, com o apoio dos comentários divinos e das imagens sobre os écrans, os antecedentes da guerra de Tróia, o comportamento de Ulisses e sobretudo a contribuição engenhosa que o cavalo de madeira representou para a solução da campanha. Na leitura interpretativa do passado, as vontades olímpicas dividem-se, entre os que aplaudem a excelência do herói e lhe reservam a sua simpatia, e os que lhe censuram a arrogância e a concorrência, e por isso lhe prometem perseguição e castigo. A harmonia só se consegue, no Olimpo, pela decisão unânime de sujeitar o herói a uma série de desafios, outras tantas étapas de um jogo electrónico, que terá de vencer para conseguir o eterno objectivo: rever as praias amadas de Ítaca. Barco, tripulação e pontuação de base estão a postos para que o jogo possa começar.

            É então a vez da saga de Ulisses ocupar o centro das atenções. O roteiro convencional de portos e de perigos que os navegadores míticos percorrem, o cortejo de amigos e de inimigos com que cruzam, os incentivos ou barreiras fornecidos à prossecução da viagem são os homéricos: Cícones, Lotófagos, Ciclopes, Éolo, como Circe, Hades, as sereias, Cila e Caríbdis, as vacas do sol ou a ilha de Calipso, impõem ao Ulisses 2002 o decalque dos movimentos do seu antepassado de há milhares de anos. De novo apenas a pontuação electrónica que permite agora traduzir e contabilizar, num painel em constante actualização, a soma de êxitos e fracassos que constituem a eterna saga. Como sempre também o grande final é a chegada, em que – como se pode ler na documentação informativa -, ‘o game over coincide com o beijo do reencontro entre Penélope e Ulisses’. Uma última palavra cabe aos imortais, num breve concílio final, onde se avalia o desempenho vitorioso de Ulisses no jogo de que os Olímpicos são os autores.

            Para terminar, permito-me apenas salientar alguma provocação moderna que o espectáculo valoriza com efeitos de aplaudir. É primeiro o texto a dar um contributo notável a este objectivo. Limito-me, a título de exemplo, a repetir o tom por que segue o início do primeiro concílio dos deuses:

            Poséidon – Epá, embirro com ele, o que é que querem, embirro com ele! O tipo tem a mania que é herói!

            Hermes – E por acaso até é ! Não foi ele que deu cabo dos Troianos?

            Hades – Então, não! E esta camisolinha também foi ele que me deu! Pfff! Não percebem que ele só foi para a guerra para ser famoso, para aparecer nas revistas e ter muita gente a escrever sobre ele?

            Atena – O Ulisses não quer saber disso para nada! É um homem de princípios, honesto, corajoso, lutador … E além do mais … é giro!

            Poséidon – Ah pois, já cá faltava! Como é giro, pronto!  (Volta a instalar-se a algazarra à volta da mesa)

            Zeus – Ordem, ordem na mesa! Parem com isso, já! Mas, afinal, quem é que manda aqui?! Poséidon, tu hoje estás insuportável! E tu, Hades, poupa-nos às tuas piadinhas, por favor! Eu preciso de decidir o que fazer com Ulisses, não passa de hoje! Vamos lá a falar um de cada vez …’

            Mas se o novo tom faculta o texto, com naturalidade, aos ouvidos das novas gerações, abundantes anacronismos de cena, decalcados dos heróis de BD ou da cibernética, não só fazem de Ulisses um herói dos tempos modernos, como permitem uma caricatura óbvia de alguns traços que identificam a sociedade em que vivemos. A chegada de Ulisses à Eólia, por exemplo, é associada a um assalto de um grupo histérico de filhas do deus dos ventos, que investem contra o recém-chegado em busca de um autógrafo; como a visita à ilha de Calipso descamba no cumprimento de um roteiro turístico, onde nem os souvenirs da praxe são omitidos.             Numa palavra, por milagre dos deuses do Olimpo ou simplesmente dos produtores da Cultural Kids, Ulisses pode continuar a viver a sua Odisseia,  fiel à tradição e tocada pela modernidade, porque eternamente jovem e por isso detentora de um sucesso sem quebras.

Público Alvo
2º Ciclo Espetáculo, concebido para crianças, jovens, famílias e grupos escolares.

Classificação Etária
M/6 anos

Autoria do Projeto

Projeto criado e desenvolvido por
Cultural Kids

Direção Artística

Cristina Basto

Direção Técnica

João Paulo Xavier

Direção de Atores

Pedro Cardoso

Elenco Temporada 2019-20

Atores

André Ramos – Démis, Pretendente

Letícia Blanc – Marinheiro, Filha do Deus Éolo, Circe, Ninfa Calipso, Menina do alvo

Mariana Varela – Marinheiro, Filha do Deus Éolo, Mãe de Ulisses, Sereia, Penélope

Pedro Cardoso – Marinheiro, Deus Éolo, Tiresias, Pretendente

Pedro Paz – Polifemo, Hermes, Elpenor, Telémaco, Argos, Pretendente

Sofia Brito – Marinheiro, Filha do Deus Éolo, Sereia, Deusa Atena, Menina do arco

Tiago Duarte – Ulisses

Tiago Peralta – Minócoles, Pretendente

Público alvo

2º Ciclo do ensino básico

Classificação etária

Maiores de 6 anos

Encenação

António Feio

Dramaturgia

Maria João Cruz e Patrícia Castanheira

Vídeo

Ricardo Rezende

Música

Alexandre Manaia

Cenografia, Figurinos e Adereços

Cristina Basto

Desenho de Luz

João Paulo Xavier

Execução de Adereços

TNSJoão, TNDMaria II, Rita Ribeiro Silva

Caracterização

Alda Salavisa

Fotografias

José Fabião

Design Gráfico

Luísa Toffolo

Estreia

Fevereiro de 2002

Local
Teatro Nacional D. Maria II, Lisboa

Exposição

Concepção

Silvia Alvarez e Cristina Basto

Ilustrações

Luísa Toffolo

Livro de Atividades Pedagógicas

Título

O Meu Primeiro Livro de Actividades sobre
a Grécia Antiga

Autores

Silvia Alvarez e Cristina Basto

Ilustração e Design Gráfico

Luísa Tofollo e Andreia Oliveira

Edição

Cultural Kids/ Programas Culturais dos 0 aos 16
Cor, Pp. 40, Lisboa 2002

Sobre a Aventura de Ulisses

É uma adaptação?
Sim. Trata-se de uma adaptação da Odisseia de Homero, que respeita os episódios principais da história de Ulisses e a torna acessível aos mais jovens através da modernização da linguagem e dos meios técnicos envolvidos.

O cenário tem carácter histórico?
Sim. Foi criado a partir de descrições contidas na obra original e nas referências da arquitetura grega.


Os figurinos respeitam o período histórico?
Sim. Foram desenhados a partir das imagens que se encontram em cerâmicas da época.

Há música no espetáculo?
Sim. Foi composta música específica para este espetáculo.

Quantos atores fazem parte do elenco?
O elenco é composto por 8 atores ao vivo, mais 5 atores que protagonizam os Deuses em video.

Os atores usam microfone?
Sim. Todos os atores estão amplificados com microfone de lapela.

A que disciplinas poderá interessar diretamente este espetáculo?
Às disciplinas de Língua Portuguesa, História, Matemática e EVT.

Espetáculos Agendados de Janeiro a Maio 2022

Janeiro 2022

2022Seg17Jan10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Ter18Jan10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Qua19Jan10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Qui20Jan10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Sex21Jan10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Seg24Jan10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

Fevereiro 2022

2022Ter01Fev10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Qua02Fev10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Qui03Fev10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Sex04Fev10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

Maio 2022

2022Seg16Mai10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Ter17Mai10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Qua18Mai10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Qui19Mai10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Sex20Mai10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

2022Seg23Mai10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Auditório do Colégio Pedro Arrupe

Março 2022

2022Qui10Mar10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Teatro Sá da Bandeira, Porto

2022Sex11Mar10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Teatro Sá da Bandeira, Porto

2022Seg14Mar10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Teatro Sá da Bandeira, Porto

2022Ter15Mar10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Teatro Sá da Bandeira, Porto

2022Qua16Mar10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Teatro Sá da Bandeira, Porto

2022Qui17Mar10:3014:30A Aventura de Ulisses10:30 - 14:30 Teatro Sá da Bandeira, Porto

Recursos Pedagógicos

Todos os projetos criados e desenvolvidos pela Cultural Kids integram material gratuito destinado a ser utilizado pelos professores.
Os conteúdos desenvolvidos fazem a ligação entre as diferentes valências curriculares de cada um dos ciclos do ensino (pré-escolar, básico e secundário) com o espetáculo, exposição ou intervenção multimédia apresentados.

botao Guia de Preparacao e1615144487666

Guia de Preparação

O Guia de Preparação* é muito útil na organização e preparação da visita de estudo. Contém informação detalhada sobre o espetáculo e o autor da obra (Sinopse, biografia, contexto histórico e literário, documentos vários, bibliografia, etc). Contém também Fichas Artística e Técnica do espetáculo, bem como Fichas para recolha de informação destinadas aos alunos.

*Poderá aceder a este documento após a confirmação da sua reserva.

botao Fichas de Atividades e1615144477551

Fichas de Atividades Pedagógicas

As fichas de atividades pedagógicas* foram desenvolvidas especificamente para cada projeto.
Estão organizadas por disciplina e fazem a ligação entre o espetáculo e os conteúdos curriculares e entre as várias disciplinas.
Destinam-se a ser usadas pelos professores após o visionamento do espetáculo.
Estão concebidas como material de consolidação dos conteúdos adquiridos e como material complementar ou de extensão.

*Poderá aceder a este documento após a confirmação da sua reserva.

botao Conversa c Atores e1615144447433

Conversa com Atores

No final do espetáculo e durante 30 minutos os alunos podem conversar com os atores e colocar todas as perguntas que desejem, satisfazendo assim as suas curiosidades sobre a profissão e o processo criativo. Esta atividade está sujeita a inscrição prévia e confirmação de disponibilidade.

botao Dossier de Projeto e1615144463751

Dossier de Projeto

O Dossier de Projeto* é muito útil na preparação do Plano Anual de Atividades. Aplica o Plano Nacional das Artes (PNA 2019-2029) integrando de forma articulada o Plano Nacional de Leitura, Plano Nacional de Cinema, Programa de Educação Estética e Artística, Programa Rede de Bibliotecas Escolares e Rede Portuguesa de Museus de acordo com a Resolução do Conselho de Ministros nº42/2019.

*Disponível sob pedido.para professores que realizem reserva.

Planeie a sua visita de estudo

Deixamos aqui sugestões para que a sua visita de estudo seja um verdadeiro sucesso. Aqui pode obter informações sobre a duração do espetáculo, sobre a sala, mapas de acesso ao local, o que fazer à chegada, acessibilidades, o que trazer, o que não trazer… E ainda algumas sugestões para completar esta atividade espetacular!

time clock circle

Duração do Espetáculo

O espetáculo A Aventura de Ulisses tem uma duração de 1h30m

classificação etária: M/6anos

Auditorio Pedro Arrupe 1

Auditório do Colégio Pedro Arrupe

Com 502 lugares, o Auditório Pedro Arrupe foi concebido para conferências, celebrações religiosas ou espetáculos de teatro, música e dança.
O Auditório Pedro Arrupe situa-se na zona norte do Parque das Nações. No Passeio dos Heróis do Mar nº100, num terreno de 72000 m2, junto aos rios Tejo e Trancão.
O acesso ao Auditório faz-se através de uma zona reservada com vigilância e tem muito bons acessos para autocarros. O Auditório Pedro Arrupe garante plena acessibilidade ao recinto.

Planeie a sua visita

Morada: Passeio dos Heróis do Mar Parque das nações Norte, nº100 Lisboa / GPS 38.794363, -9.097474

Autocarro da Carris nº 708

CP linha da Azambuja, estação Sacavém

Sa da Bandeira 150x150 1

Teatro Sá da Bandeira

O Teatro Sá da Bandeira encontra-se no centro histórico do Porto. É a sala de espetáculos mais antiga da cidade do Porto e tem uma capacidade para 640 espectadores. Nos dias de espetáculo existe acompanhamento dos agentes da Polícia Municipal do Porto para facilitar a paragem dos autocarros que fazem a largada e tomada de passageiros. O Teatro Sá da Bandeira garante plena acessibilidade ao recinto.

Planeie a sua visita

Morada: Rua de Sá da Bandeira, 108, Porto GPS 41.146940, -8.609130

Autocarros da STCP: Todos os que passam na Av. dos Aliados e Praça D. João I

A Estação de Metro do Bolhão, Estação de Metro dos Aliados, Estação de Metro de S. Bento, Estação de Comboios de São Bento

Mapa 1

Locais de interesse perto do Auditório Pedro Arrupe

A menos de 5 minutos do Auditório Pedro Arrupe pode encontrar diversos motivos de interesse:
. Pavilhão do Conhecimento
. Oceanário de Lisboa
. Teatro Camões
. Pavilhão de Portugal
. Pavilhão Atlântico
. Jardins do Parque das Nações
. Zonas de Lazer do Parque das Nações

Mapa 02

Locais de interesse perto do Teatro Sá da Bandeira

A menos de 5 minutos do Teatro Sá da Bandeira pode encontrar diversos motivos de interesse:
. Torre dos Clérigos
. Livraria Lello
. Sé do Porto
. Cadeia da Relação
. Edifício da C.M.Porto
. Estação de São Bento
. Mercado do Bolhão

Os Deuses reúnem-se para decidir o destino de Ulisses. Espetáculo de teatro da Cultural Kids
Ulisses em A Aventura de Ulisses um espetáculo de teatro da Cultural Kids
Os Deuses reúnem-se para decidir o destino de Ulisses. Espetáculo de teatro da Cultural Kids
A Aventura de Ulisses Estreou na Sala Garret do T.N.D.M.II
Démis entra na gruta de Polifemo em A Aventura de Ulisses um espetáculo de teatro da Cultural Kids
O Rei Éolo tem o poder de controlar os ventos em A Aventura de Ulisses teatro por Cultural Kids
Na sua viagem de regresso a Ítaca Ulisses visita o reino dos mortos onde encontra a sua mãe. A Aventura de Ulisses teatro por Cultural Kids
As sereias encantam os marinheiros com o seu canto no espetáculo de teatro da Cultural Kids
O Deus Sol castiga os marinheiros de Ulisses em A Aventura de Ulisses, teatro por Cultural Kids
Hermes visita a ilha da ninfa Calipso para lhe entregar uma mensagem em A Aventura de Ulisses um espetáculo de teatro da Cultural Kids
Ulisses disputa o torneio para levar de vencida os pretendentes ao trono de ìtaca no espetáculo de teatro A Aventura de Ulisses da Cultural Kids
Hermes, a Deusa Atena, Zeus, Poseidon e Hades no espetáculo de teatro da Cultural KIds
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
 

Imagens Galeria de imagens da peça de teatro A Aventura de Ulisses desde o ano da estreia

Polifemo em A Aventura de Ulisses VIDEO 1

Vídeo Assista aqui ao trailer da Peça de Teatro A Aventura de Ulisses

Print Friendly, PDF & Email
X